Segundo a Seap o Amazonas tem 77 grávidas ou mães em condições de deixar prisão

Dados serão encaminhados à Defensoria Pública para que seja feito o pedido de habeas corpus de detentas (foto: reprodução/internet)

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) identificou ao menos 77 detentas que estão grávidas ou são mães de crianças de até 12 anos que não foram condenadas. Na terça-feira (20), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu conceder prisão domiciliar a presas sem condenação, gestantes ou mães nestas condições.

De acordo com a Seap, o levantamento foi feito após uma solicitação da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM).

Segundo os dados, o estado possui seis presas grávidas e 71 mães com filhos de até 12 anos e que ainda não foram condenadas.

Esse levantamento, segundo a Seap, será repassado à DPE, que deve fazer a análise individual para observação de demais critérios e realizar a solicitação do habeas corpus coletivo para as presas do Amazonas que preencham todos os requisitos da decisão.

Em todo o Brasil, a decisão beneficia ao menos 4,5 mil detentas, cerca de 10% da população carcerária feminina, segundo levantamento parcial do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), do Instituto Terra Trabalho e Cidadania (ITTC) e da Pastoral Carcerária Nacional.

Com a decisão do Supremo, cada tribunal terá 60 dias, após a publicação da decisão, para implementar a medida, que valerá também para mães que tiverem crianças com deficiência. (G1 AM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here