O dilema dos presos federais da Operação Custo Político e um detalhe que poucos perceberam

(foto: arquivo/Portal JV)

Quando a juíza federal Jaiza Fraxe decretou a prisão preventiva do ex-governador José Melo e da ex-primeira-dama Edilene Oliveira, disse logo no início que os crimes seriam julgados pela Justiça Federal. E explicou que o motivo era o desvio de verbas do Sistema Único de Saúde – SUS. Como o SUS é bancado quase integralmente por verbas federais, havendo baixa contrapartida dos Estados, a fraude em licitação para favorecer o instituto chamado INC causou rombo em verbas públicas federais.

Mas, não é exatamente isso que pensa a defesa de alguns réus. Juristas consultados pelo Portal afirmam que há um recurso de Habeas Corpus no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, pretendendo tirar o processo da Justiça Federal e encaminhar para a Justiça Estadual, alegando que, se houve algum desvio, não foi de verba federal.

O assunto está nas mãos de um desembargador federal que pode, a qualquer momento, mudar o rumo das investigações e punições, encaminhando o processo para outra esfera. Fica a dúvida: será apenas uma estratégia processual de defesa ou o realmente o Ministério Público e a Justiça Federal estão equivocados? Só o tempo dirá!

Por hora, o que temos é a população despejando nas redes sociais a SATISFAÇÃO e a esperança de um Amazonas mais justo, onde chegou a hora de gente grande ir para cadeia e responder por seus crimes.

Oremos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here