85% das rodovias do AM têm deficiências e falhas, aponta CNT

BR-319 teve estado geral considerado ruim (Foto: Mary Porfiro/G1)

Do total de 1.022 km da malha viária de rodovias estaduais e federais no Amazonas, 85% apresenta algum tipo de deficiência. As condições do pavimento e sinalização têm afetado o tráfego de veículos nas estradas e gerado acréscimo do custo operacional de 49,6% no transporte rodoviário do Amazonas.

A precariedade foi constada pela Confederação Nacional do Transporte, que avaliou quatro rodovias federais e uma estadual. A análise integra a 21ª Pesquisa CNT de Rodovias divulgada recentemente.

A pesquisa da CNT percorreu 1.022 km de estradas no estado, incluindo trechos da AM-010, da BR-230 (Transamazônica), BR-317 (divisa do Amazonas com Acre) e BR-319. Dos trechos das quatro rodovias avaliadas 85% (869 km) da malha apresentou algum tipo de deficiência do estado geral com classificação regular, ruim ou péssimo. O estado geral inclui a avaliação conjunta do pavimento, da sinalização e da geometria da via. Somente 15% (153 km) tiveram classificação ótima ou boa.

As deficiências geram um acréscimo do custo operacional do transporte no transporte rodoviário do Amazonas, que chega ao índice 49,6%, enquanto a média em todo o país é de 27%. Os 166 acidentes ocorridos em 2016 geraram um custo de R$ 24,58 milhões. (G1 AM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.