Casarão de Ideias e Café Apuí Agroflorestal firmam parceria para fomento do desenvolvimento sustentável

O centro cultural passa a comercializar o produto nas versões orgânica e agroflorestal

Foto: divulgação

O Centro Cultural Casarão de Ideias (CCCI), localizado no Centro de Manaus, firmou nesta semana mais uma parceria para o fomento do desenvolvimento econômico do Estado. Trata-se do Café Apuí Agroflorestal, uma empresa da Amazônia Agroflorestal e do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam).

De acordo com João Fernandes, diretor do Casarão de Ideias,a  parceria visa promover a cultura local, a defesa e a conservação do patrimônio histórico e artístico, bem como apoiar o desenvolvimento sustentável da Amazônia. No local, está sendo comercializado o produto nas versões orgânica e agroflorestal.

“Essa parceria tem tudo para ser um sucesso, e reforça a importância da união de forças para a promoção da cultura e do desenvolvimento sustentável na Amazônia. Juntos, Café Apuí Agroflorestal e Casarão de Ideias, mostram que é possível fazer negócios de sucesso, enquanto preservamos o meio ambiente e valorizamos a cultura local”, comenta ele.

O Café Apuí Agroflorestal também acredita que é possível combinar negócios rentáveis com a preservação do meio ambiente e a valorização da cultura. “Estamos muito entusiasmados com esta parceria, pois ela permite a expansão ainda maior do alcance do nosso café agroflorestal, além de apoiar projetos culturais importantes na Amazônia”, afirma o CEO da Amazônia Agroflorestal.

Moda

No início do mês de março, o CCCI passou a disponibilizar em sua loja colaborativa peças da Sioduhi Studio, marca que tem conquistado cada vez mais adeptos e busca valorizar o orgulho da origem indígena.

De acordo com Sioduhi Lima, que dá nome a marca, a ideia de comercializar as peças no Casarão de Ideias partiu do próprio diretor do espaço, João Fernandes. “Esse convite dele (João), que recebi com muita felicidade, chegou no momento certo, pois estava planejando para este ano levar as criações para Manaus”, comenta.

Originário do povo Piratapuya, do Alto Rio Negro, Sioduhi afirma que poder comercializar suas criações em um espaço como o Casarão de Ideias é uma grande oportunidade. “É uma forma de fortalecimento e continuidade do meu trabalho enquanto designer, mas também uma possibilidade de alcançar mais pessoas”, finaliza.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.