Servidores federais do AM vão discutir nova campanha salarial

O encontro vai acontecer, a partir das 8h, no hotel Taj Mahal, localizado na avenida Getúlio Vargas, 741, Centro de Manaus, com a participação de ativos, aposentados e pensionistas

(foto: divulgação)

O Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Amazonas (Sindsep-AM) realiza nesta sexta-feira, 13 de abril, assembleia geral extraordinária para discutir, entre outros assuntos, as bases da nova campanha salarial da categoria.

Ainda na pauta de discussões, a eleição sindical para o triênio 2018/2020, a definição e prazo para a nova eleição, a prorrogação do mandato da atual diretoria, as reformas previdenciária e trabalhista, além de informes sobre as ações jurídicas em andamento e outras mais recentes, que também refletem em benefícios para os servidores.

“O governo continua atacando os direitos dos servidores públicos federais. Daí a necessidade de união e reação da categoria, exigindo a derrubada de medidas que são um retrocesso às nossas conquistas, como a EC 95/16, que congela por 20 anos os investimentos no serviço público, incluindo a realização de concurso; a Reforma Trabalhista e a MP 805”, diz secretário geral do Sindsep-AM, Wlater Matos.

Ele explica que, após perder o debate na opinião pública sobre a Reforma da Previdência, em fevereiro, o presidente Michel Temer agora tenta fazer mudanças na aposentadoria sem mexer na Constituição. E uma das opções é derrubar a liminar que suspendeu a MP 805 em dezembro de 2017, o que afeta diretamente os servidores públicos, visto que aumenta de 11% para 14% a alíquota previdenciária para quem ganha acima de R$ 5.531,31, além de adiar, para 2019, os reajustes salariais já aprovados para várias carreiras do Executivo.

Campanha salarial

“Não podemos aceitar o descumprimento de acordos de braços cruzados, muito menos mais um ano sem reajustes”, frisa o dirigente, lembrando que a assembleia pretende debater as bases da campanha salarial para 2018.

O índice projetado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) como percentual de reposição pelas perdas salariais dos últimos anos é de 25,63%, mais a extensão do índice estabelecido pela Lei 13.464/17 a todos os servidores federais e aplicação do valor de, no mínimo, 50% per capta da União, para a manutenção do plano de saúde.

O cumprimento de acordos firmados e assinados em 2015 com diversas categorias também faz parte dos eixos centrais desse trabalho, assim como a luta por uma data base para os servidores em 1º de maio.  “Do empenho de cada servidor depende a nossa sobrevivência como categoria e como trabalhadores”, frisa Walter Matos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.