ZFM recebe menção honrosa de publicação do grupo Financial Times

Na edição de outubro/novembro de 2021 da publicação britânica fDi Intelligence, a Zona Franca de Manaus (ZFM) recebeu menção honrosa na categoria “Ajustes Logísticos” da premiação “Zonas Francas Globais do ano de 2021”. A publicação pertence ao grupo editorial do jornal britânico Financial Times (FT), um dos mais conceituados veículos de economia da Europa.

Na avaliação do corpo de jurados, o destaque se deve “aos avanços realizados nesta área (de logística) ao longo dos últimos anos, dotando a ZFM de maior competitividade”.

De acordo com o superintendente da Suframa, Algacir Polsin, todo reconhecimento dado ao modelo ZFM, seja ele interno ou internacional, é resultado do esforço coletivo de trabalhadores, servidores, especialistas e empresários que consolidaram a ZFM, ao longo dos seus 54 anos, como importante e exitoso projeto de redução de desigualdades regionais. “É importante promover uma convergência cada vez maior de esforços e ações a fim de avançar no espraiamento das riquezas geradas pela ZFM para que elas atinjam toda a área de abrangência da Suframa”, frisou o superintendente.

Para Polsin, iniciativas para o aprimoramento da logística na região são essenciais não apenas para garantir maior eficácia nos processos de recebimento dos insumos e de escoamento dos produtos fabricados no Polo Industrial de Manaus, mas também para facilitar a vida dos habitantes da região. “Há iniciativas promissoras na área da logística, como é o caso da ligação terrestre entre Manaus e o porto de Georgetown, na Guiana Inglesa. Para isso, é necessária a pavimentação de uma estrada de aproximadamente 450 quilômetros, que liga as cidades de Lethem, fronteira com o Brasil, a Linden”, detalhou.

O superintendente também salientou a importância da implementação de outras soluções logísticas como a criação de mais saídas do Brasil para o Pacífico. Hoje, para os produtos brasileiros chegarem à Ásia, existem basicamente duas rotas: pelo canal do Panamá ou via oceano Índico. Uma solução relevante, portanto, é a rota ao Pacífico via Acre, facilitada pela Ponte do Abunã. Polsin pontua que a ponte integra a chamada “Rota Interoceânica” ou “Estrada do Pacífico”, um caminho pavimentado de quase 2.400 quilômetros, que interliga Porto Velho (Rondônia) e San Juan de Marcona, na costa do Peru, dando acesso aos portos de Matarani e Ilo. Além disso, como a ponte passa sobre a hidrovia do Madeira, também facilita a navegação até o Oceano Atlântico pelos portos do norte do país. “Também é necessário destacar as possibilidades de ganhos logísticos com o incremento do tráfego rodofluvial via Tabatinga-AM, além de reforçar a necessidade do asfaltamento da rodovia BR-319”, exemplificou o general.

Premiação

A “Zonas Francas Globais do ano” é uma premiação anual internacional que analisa as zonas francas, reconhecendo quais delas apresentaram resultados expressivos no que se refere a perspectivas de investimento, expansão, capacidade produtiva e logística, entre outros aspectos.

A Suframa, por ser uma zona franca associada à Associação de Zonas Francas das Américas (AZFA), é convidada anualmente a inscrever-se na premiação, tendo recebido alguns prêmios ao longo dos últimos anos. Foi vencedora na categoria Grandes Empreendimentos da região da América Latina e do Caribe no ano de 2015.  Em 2017, foi premiada nas categorias “Melhor Zona das Américas – Grandes Inquilinos”, “Melhor Zona Franca para Sustentabilidade”, “Melhor Zona Franca para Expansão” e “Melhor Zona Franca para Novos Investimentos”. Já no ano de 2018, foi premiada na categoria “Altamente recomendável para grandes empreendimentos das Américas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.