Licitação da Semulsp continua suspensa pelo TCE

(foto: divulgação)

A presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), conselheira Yara Lins dos Santos, decidiu, no início da tarde desta quinta-feira (22), em Decisão monocrática, manter a suspensão do pregão presencial Nº 1/2018, da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana do município de Manaus (Semulsp), para a contratação de empresa especializada na prestação de serviço de coleta de lixo pelo valor de R$ 522,8 mil. A decisão foi publicada no Diário Eletrônico do TCE desta quinta.

No final do mês de janeiro, a presidente suspendeu o pregão preventivamente e concedeu, na ocasião, um prazo de 15 dias para que a Semulsp  e a Comissão Municipal de Licitação (CML) apresentassem justificativa à representação formulada pela empresa Trairi Comércio de Derivados de Petróleo Ltda., que apontou uma série de irregularidades, que levaram à suspensão da licitação. 

Conforme a representação ingressada no TCE, entre as irregularidades no pregão presencial estão a ausência de indicação do recurso próprio para a ocorrência da despesa e falta de clareza quanto à definição do objeto, “o que teria causado dificuldade em entender se incluiria a mão-de-obra de garis para o serviço de coleta de lixo, além de exigências de capacidade técnica incompatíveis com a complexa contratação a ser realizada, uma vez que, a título exemplificativo, restringe-se a solicitar a comprovação de engenheiro ambiental com Certidão de Acervo Técnico (CAT) registrado no CREA em serviços de coleta de lixo, bem como que a empresa apresente declaração de possuir todos os equipamentos e máquinas necessários”.

Sem resposta

Segundo a conselheira Yara Lins dos Santos, a Comissão Municipal de Licitações, apresentou justificativas dentro do prazo, mas, em linhas gerais, limitou-se a desqualificar as alegações da empresa Trairi, contudo, sem afastar as contradições constantes no edital da licitação.

 

Em relação à definição do objeto, por exemplo, a CML alegou ao TCE-AM que não há problemática, “uma vez que o serviço inclui a também a coleta e não somente a locação de máquinas”. Para a conselheira, embora a definição do objeto mencione serviço de coleta de lixo em margens de rios e igarapés, a alegação da empresa Trairi torna-se “palatável, tendo em vista que no edital não consta a previsão de inclusão da mão-de-obra de garis, fato que gera dúvidas e dificulta a formação de preços das concorrentes”.

 

Em seu despacho, a presidente ressaltou que era prudente a manutenção da suspensão do certame licitatório até a finalização do trâmite ordinário no TCE, ou seja, a análise por parte do órgão técnico e pelo Ministério Público de Contas.

 

A contratação da empresa pela licitação, por mais de meio milhão, compreende a utilização de dois empurradores, duas balsas, uma embarcação autopropulsora tipo carga geral, duas escavadeiras hidráulicas e cinco botes com motores de popa, com fornecimento de mão-de-obra técnico-operacional, para atender as atividades de remoção de entulho das margens dos rios e igarapés no município de Manaus.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.