O dilema dos presos federais da Operação Custo Político e um detalhe que poucos perceberam

(foto: arquivo/Portal JV)

Quando a juíza federal Jaiza Fraxe decretou a prisão preventiva do ex-governador José Melo e da ex-primeira-dama Edilene Oliveira, disse logo no início que os crimes seriam julgados pela Justiça Federal. E explicou que o motivo era o desvio de verbas do Sistema Único de Saúde – SUS. Como o SUS é bancado quase integralmente por verbas federais, havendo baixa contrapartida dos Estados, a fraude em licitação para favorecer o instituto chamado INC causou rombo em verbas públicas federais.

Mas, não é exatamente isso que pensa a defesa de alguns réus. Juristas consultados pelo Portal afirmam que há um recurso de Habeas Corpus no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, pretendendo tirar o processo da Justiça Federal e encaminhar para a Justiça Estadual, alegando que, se houve algum desvio, não foi de verba federal.

O assunto está nas mãos de um desembargador federal que pode, a qualquer momento, mudar o rumo das investigações e punições, encaminhando o processo para outra esfera. Fica a dúvida: será apenas uma estratégia processual de defesa ou o realmente o Ministério Público e a Justiça Federal estão equivocados? Só o tempo dirá!

Por hora, o que temos é a população despejando nas redes sociais a SATISFAÇÃO e a esperança de um Amazonas mais justo, onde chegou a hora de gente grande ir para cadeia e responder por seus crimes.

Oremos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.