Ex-secretários suspeitos de receber propina são levados para o IML

Os ex-secretários retornarão para a penitenciárias e o ex-governador do Amazonas José Melo (PROS) permanece na sede do órgão por determinação da Justiça (fotos: Ariane Alcântara/G1 AM)

Quatro ex-secretários de governo foram encaminhados da Superintendência da Polícia Federal (PF), Zona Centro-Oeste de Manaus, para o Instituto Médido Legal (IML), na tarde desta quarta-feira (3). Eles devem ser levados para o sistema prisional. Cassado por compra de votos na eleição de 2014, o ex-governador do Amazonas José Melo (PROS) permanece na sede do órgão por determinação da Justiça.

Eles são suspeitos de receber cerca de R$ 20 milhões em propina para favorecer empresas do médico Mouhamad Moustafa, apontado como chefe do esquema. O caso foi apontado na operação “Maus Caminhos”, em 2016.

Os quatro ex-secretários deixaram a sede da Polícia Federal por volta das 14h30. De lá, eles seguiram para a sede do Instituto Médico Legal (IML), Zona Norte da capital.

A transferência estava prevista para ter ocorrido na terça, mas em razão da reduzção de efetivo policial, a transferência para a triagem no Centro de detenção Provisório Masculino-CDPM dos ex-secretários foi alterada para esta quarta, conforme planejamento do Núcleo de Operações da Delegacia Regional Executiva.

“Permanecendo sob custodia da Polícia Federal, somente o ex-governador, em razão de determinação da Justiça Federal”, diz o comunicado da Polícia Federal.

Estão presos

  • José Melo, ex-governador do Amazonas;
  • Evandro Melo, irmão dele e ex-secretário de Administração e Gestão Evandro;
  • Wilson Alecrim, ex-secretário de Saúde;
  • Afonso Lobo de Moraes, ex-secretário de Fazenda;
  • Pedro Elias, ex-secretário de Saúde

Eles haviam sido liberados, mas voltaram a ser presos no domingo (31/12) depois que a Justiça acatou pedido do Ministério Público para reverter a decisão que liberou os suspeitos.

Os mandados contra Melo, Evandro, Afonso e Wilson foram cumpridos na tarde de domingo. Pedro Elias, que não foi localizado pela polícia, se apresentou por volta da 6h desta segunda-feira (1º), na Superintendência.

Também são investigados no esquema

  • Ex-chefe da Casa Civil, Raul Zaidan;
  • Médico Mouhamad Moustafá

Raul Zaidan e Mouhamad Moustafá tiveram indeferidos pedido de prisão preventiva. A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) confirmou que eles foram liberados.

Além de Moustafá e Zaidan, a decisão também envolve Keytiane Evangelista e José Duarte Filho. No documento, o juiz plantonista Wendelson Pereira Pessoa pontua que não foram verificados “fatos novos aptos à decretação de prisão preventiva dos investigados”. (G1 AM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.